O Sol Voltou

by Luís Severo

/
  • Streaming + Download

    Includes unlimited streaming via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.
    Purchasable with gift card

      €10 EUR  or more

     

1.
03:07
2.
02:51
3.
03:34
4.
02:49
5.
03:26
6.
02:49
7.
8.
04:25
9.

credits

released May 17, 2019

Composto tocado e produzido por mim.
Gravado por mim, Diogo Rodrigues e Rodrigo Castaño.
Misturado por mim com a preciosa consultoria dos queridos amigos Eduardo Vinhas, Diogo Rodrigues, Rodrigo Castaño, Manuel Palha e Manuel San Payo.
Masterizado pelo Eduardo Vinhas e por mim.
Capa, ilustrações e grafismos por João Sarnadas.
Gravado entre o estúdio da Cuca Monga, o atelier de pianos Ébano & Marfim do Afonso Wallenstein e a casa no Ribatejo do querido Tio José Romão.
As primeiras canções deste disco foram compostas nos Açores, numa residência artística no Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas.
A Teresa Castro emprestou-me uma guitarra clássica muito importante para esta gravação.

Agradeço do coração a todos os nomes acima e também a outros que me ajudaram nestes dois anos sem gravar:
Raquel Rodrigues, Joaquim Quadros, Bernardo Álvares, Rodrigo Vaiapraia, Filipe Sambado, Núria Bernardo, Luís Henrique, Rodrigo Nogueira, Duarte Coimbra, João Sobral, Joana Rodrigues.

Para ser mais rápido, agradeço particularmente a toda a Cuca Monga e Maternidade. Agradeço ainda aos meus pais e restante família.

license

all rights reserved

tags

about

Luís Severo

Booking:
Joaquim Quadros
joaquimquadros@mcr.iol.pt

Promoção:
Rodrigo Castaño rodrigocastano.promo@gmail.com

shows

contact / help

Contact Luís Severo

Streaming and
Download help

Track Name: Primavera
O sol já doira o teu cabelo
Avermelha as tuas sardas
Perfuma alto da serra

Desenrola o novelo
Das vontades adiadas
Urgentes como o dia que encerra

Quisemos correr fazer parte da terra
Ir em paz sem voltar em guerra

Se a rua ali à espera
Agiganta a Primavera
Esquece o drama

Que o fim da tarde nunca vai ser noite
E em cada peito há um instante que canta liberdade

Só me reconheço em beijos teus
Sabem sempre a hoje os beijos teus

Dás-me um dia inconsciente
Mas devolves-me a noção
Só quando for mesmo importante

Dás-me o futuro que tu chamas de presente
Por seres já concretização
Do que pra mim é tão distante

A liberdade em estar longe e não querer estar perto
Abrir o meu peito teu choque eléctrico

Mas se há gente ali à espera
Pra estragar a Primavera
Ai não descanses

Que o fim da tarde não quer mais ser noite
E em cada cada peito há um instante que canta liberdade

Só me reconheço em beijos teus
Sabem sempre a hoje beijos teus

Agora solta beijos teus
Agora canta liberdade

Só me reconheço em beijos teus,
(liberdade)
Sabem sempre a hoje beijos teus
Track Name: Acácia
Saudade bate à porta do quarto
E sai ao nascer do dia
Volta quando o sol se põe

Na sala o medo já solta a guitarrada
E o coração sobe e desce
É só o ar que se vai

Que sede louca te despe a memória?
Que voz te conta metade da história?

O calor aperta sem fumar contra a parede
Acácia em flor que te leva
Ainda corre mas ninguém chegou

E diz o pôr do sol “ele já te esqueceu”
Acordou sem ver o sol e anoiteceu

E passa devagarinho
Junto ao Campo Santana
Se a manhã cheira a champô

Morre o velho, nasce um menino
E os novos passos da dança, amor
Cantando e rindo eu tos dou

Na sala de espera as notícias que a sorte não dá
Pega um chocolate e senta que a morte vem já

A ferida aberta vai sangrar contra o tapete, irmão
O silêncio não me sossega
Não sei lidar com o que ele me ensinou

E diz o pôr do sol
Ele já te esqueceu
Acordou sem ver o sol
E anoiteceu

Pergunta ao pôr do sol
Se ele já te esqueceu
Acordei não vi o sol
E anoiteceu
Track Name: Maio
O nosso amor partiu a medo
E em tanto desencontro
Voltou mais sossegado

Aos poucos fomos aprendendo
Teimosos como o touro
No amor desarrumado

Hoje o sol voltou
E no mesmo lugar
Tu sempre aqui ao lado

Dançamos outra vez
Ainda estou apaixonado

Sais no calor do teu momento
Fica a piada tua
A esperar-te às seis da tarde

Tu tens colegas e emprego
Papéis, vida de rua
E a força da bondade nunca te enganou

Não vais planear
Que se a dúvida dá certo
O certo sai furado

Se estamos bem, ‘tá bom
Já lá vem a luz de Maio

Hoje o sol voltou
Hoje o sol voltou
Sem amor para estear
Porque a festa da flores
Não soube a quase nada
Sem dizer teu nome
Saudade não acaba
Se hoje o sol voltou

O encanto a quebrar
Mil cheiros no ar
E a chuva no molhado

Mas ficámos os dois
E a sonhar já se fez Maio

Não soube a quase nada
Sem dizer teu nome
Saudade não acaba
Se hoje o sol voltou
Track Name: Domingo
A casa cheia à meia noite
E tu doente outra vez
Tanta pergunta não solta embaraço

Sussurras um desabafo
E enquanto faço o café tropeças
Em tanto beijo e abraço

Hoje a ansiedade não te deu nem uma hora
Descansa agora ninguém nota se vais
A festa é de quem grita mais

Domingo o tédio trouxe a paz também
Deu-te um silêncio para ser voz de alguém
Moleza e juras de amor
Enquanto o fogo não acorda
E a febre não acalma
Teu vai e vem
Embala bem

Se o chá do dia sem penas
Te afasta do espelho
E o céu cinzento não estorva o programa

Eu para aqui sem problemas
A achar que tenho enfim
São só pedaços de lama

Para te embalar
A minha história era pouca
Juntei pimenta até prender a tua boca
E agora não me afasto mais

Domingo o tédio trouxe a paz também
Deu-te um silêncio até ser voz de alguém
Moleza e juras de amor
Enquanto o fogo não acorda
E a febre não acaba
Teu vai e vem
Embala bem

A casa cheia à meia noite e tu doente outra vez
Tanta pergunta não solta embaraço
Sussurras um desabafo e enquanto faço o café depois
Tropeças em tanto beijo e abraço
Domingo o tédio trouxe a paz também
Deu-te um silêncio até ser voz de alguém
Moleza e juras de amor
Enquanto o fogo não acorda
Track Name: Joãozinho
Perdeu as asas nesse bando
E foi voar à solta
O cãozinho a meio da sesta acordou

Até lavar o nosso pranto
Cantou a boa nova
E agora vai vivendo sem pressa

Se falhar não é perder
É só um pretexto para recomeçar
E a regra vai quebrar até mudar a norma

Rio turvo a nascer
Não fujas desse teu particular
Que a resposta ‘tá lá ao fundo na foz

Uh se não há um tempo certo
Para crescer e ficar esperto
Cada qual o seu
Não faz mal cair ter medo
Vá não chores em segredo
Se não choro também eu
Deixa lá, João

Se a mudar voltou ao mesmo
E o dia soube a uma lembrança
A mudança a um regresso
E o regresso a uma mudança

Perdoa esse gente tão chata
E a vida boa sem ter anjo da guarda

Um dia vai bater
E sem ligar ao que eles vão achar
O mistério ali à espreita ainda sabe a pouco

Rio turvo a correr
E o que à nascente te quis separar
Foi só pra te entregar lá no fundo da foz

Quem te quis doirar a história
Em conquistas e vitória
Quanto te escondeu?
Pra te ver fuçar na escola
Ser macho e jogar à bola
Mas se isso aborreceu
Deixa lá, João
E vive sem pressa
Deixa lá, João
Que há coisas neste mundo que se encantam só para ti
Track Name: Rapaz
Meu amigo, o calendário
Trouxe-me a mesma miragem
E um santinho para a sorte

Esperei teu aniversário
E a rescrever mensagens
Lá passou da meia noite

Se a meio dos pesadelos
Os passos na escada
Parecem dentro de casa
Ai que medo

Só te disse olá
Mas tudo o que eu maios sentia
Agora escrevo

Ei, rapaz, que saudades
Andar por aí, aprender a fumar
E a tocar bandolim, imitar-te as vaidades
Nos precipícios sem medo do amor

Família e os amigos
Sem esperanças vão à guerra
Se pateta é ter um sonho

Vão rir dos males antigos
Que o futuro desta terra
Já só pode ser medonho

Preguiça trouxe preguiça
Justiça sem sentença
E o barulho pra calar
A descrença

Passa o dia na cama
À espera que uma luz
Desça ao meu pijama

Ei, rapaz, que saudades
Quis saber de ti
Vamos lá passear
Andar por aí
Diz-me lá como fazes
Se não tens vícios nem medo do amor

Só te disse olá
Teus olhos, minha prisão
Ai fico tenso

Ei, rapaz, que saudades
Andar por aí, aprender a fumar
E a tocar bandolim, imitar-te as vaidades
Tenho saudades do teu…
Track Name: Última Canção
Galo do eterno agora
Passa da hora
Sai dessa prisão

Não esperes sentado
Enganos de puto
Para as pedras que tens na mão

Se assim te não quero
Sou-te sincero
Dei um rumo à desilusão

Preguei-me ao pouco que valho
E quer seja ou não profissão
É meu
Não é por gostar
Que é contradição abrir mão

Se o vento mudar no frio do Inverno
Vou respirar e abraçar a escuridão

Se achar que desta ainda não é
A última canção

Amassei o barro, livrei-me do fardo
De ser estranho aos olhos dos meus
Lições são enganos cantados
Dez anos sem dizer adeus

E canto se hora ainda é agora
Fecho os olhos pra não me ver
E adio a má sorte de querer separar
O que é prazer e dever

Se é minha riqueza não ter patrão
Não vou mentir
A vida assim não é dura, não

Se o vento mudar no frio do Inverno
Podes voar, vivo sem a tua mão
Volto pra trás
Talvez a cantar, amor
A última canção

Podes voar, vivo sem a tua mão
Achei que desta ainda não é
A última canção
A última canção
A última canção
Track Name: Cheguei Bem
Manhã, corro se o autocarro vem lá
Vou mal vestido e sem comer
Mais cinco horas sentado
Não sei com que cara lhe vou aparecer

Andei a esperar pela a tua visita
E que desta não tenhas pressa
Essa cara fica mais bonita
Depois de uma boa conversa

Esta vida não dá para mim
Mas já estou bem melhor
Terra linda tão verde
Cheguei de noite
E amanhã vou embora
Cheguei bem mas já vou embora
Cheguei bem e até voltar
Parto pronto a chegar
E só vou dormir quando os pássaros cantam

Estação sem nada de novo
Alguém ao que der e vier
Árvore à espera de fogo
E além teu carro começa a aparecer

Olho rosado cai-me no goto
Tás fumado assim, ai quem me dera
Dá-me mais lucidez de minhoto
E eu já não volto pra minha terra

Esta vida não dá para mim
Mas já estou bem melhor
Terra linda tão verde
Cheguei de noite
E amanhã vou embora
Cheguei bem mas já vou embora
Cheguei bem e até voltar
Parto pronto a chegar
E só vou dormir quando os pássaros cantam

Sopra o vento
Traz geada
Salta o pó nesta encruzilhada

Acelera, é sábado à noite
Olhas nos olhos esqueces a estrada
Foi tangente, não passa nada
Sempre em frente que o dia acaba
Felicidade em cada encontro
Depois vou embora
Cheguei bem mas já vou embora
Cheguei pronto a ficar
Mas volto a partir quando os pássaros cantam

(Casa)

(…)

O quente e frio não arrepia
E dá motivo à viagem
Se é do dia o que só peço à noite
O prazer da solidão
A flor de estufa virou bicho do mato
Na pronúncia só ficou o abstrato
A renúncia e a ambição
Track Name: Quem Me Espera
Se a resposta vem com o tempo
E a Primavera já não passa do chão
É teimosia se ainda te lembro
Ou se te esqueço pra lembrar o Verão

Noite que há-de ser sempre escura
Mas a seguir vem o nascer do dia
E traz surpresas dessa tua loucura
Purga para espantar a monotonia
Minha água fria

Não me vens buscar
Ai que escura é a noite
Se ainda demoras
Ah, quem me leva?
Não te vai chegar
Ai que dura é a noite
Se te fores embora
Ah, quem me espera?

Tu estás melhor
Eu é que não
Quão egoísta eu sou?
Tudo tem razão de ser
Achei que era meu
E um dia não chegou

E é sempre escura a noite
Engano as horas lá sentado à tua espera
Sai do meu lugar
Que eu já vou pra longe
Tu foste embora
Ah quem me espera?
Ah quem me espera?
Ah quem me espera?

Se a resposta vem com o tempo
E a Primavera já não passa do chão
É teimosia se ainda te lembro
Ou se te esqueço para lembrar o Verão

Luís Severo recommends:

If you like Luís Severo, you may also like: